Sorrisos

Como é que se calcula o preço da cirurgia de Colocação de Implante?

Dr. Luis Pinheiro

Dr. Luis Pinheiro

Médico Cirurgião

Preço, preço, preço e competitividade comercial. Valor de mercado, comparação de preços, “dumping” comercial, esmagar a concorrência… e por aí fora. Longe vão os tempos e as tendências onde a Medicina e o seu exercício estavam fora desta guerra sem quartel, deste mercado de agressão e de agressividade. Vendem-se tratamentos, vendem-se experiências, vendem-se prestações de serviços médicos a prestações, a preços psicológicos. É o mercado a funcionar, diz-se à “boca cheia”.

E respeito, compreendo e concordo, mas o mercado tem de funcionar, comparando o que é comparável, de forma justa, honesta e no nosso caso, de forma clínica e científica.

Um tratamento médico tem vários factores a ter em conta, como podemos pensar:

  • Curriculum dos médicos
  • Capacidade e experiência técnica do médico
  • Curva de aprendizagem da técnica
  • Qualidade do material utilizado no tratamento
  • Qualidade e capacidade de resposta da estrutura da clínica
  • Qualidade das instalações da clínica
  • Formação e competências de todos elementos da Equipa

No caso do Dr. Luis Pinheiro, a Cirurgia Oral e a Implantologia.

O valor da formação académica, médica e cirúrgica.

Não podemos acreditar que será justo e honesto compararmos um médico que gastou pelo menos mais 4 ou 5 anos a estudar após a conclusão da sua licenciatura com outro que ainda não teve oportunidade de percorrer o mesmo caminho académico e clínico. Não deveremos achar legítimo, que uma formação que custou 4 ou 5 vezes mais dinheiro a obter, dê o mesmo tipo de conhecimento, capacidade e experiência do que a alguém que não a fez sequer, ou que apenas fez uma formação rápida e diluída para poder ultrapassar etapas importante da formação e se apresentar aos pacientes com um título enganoso.

Mas como sempre e em tudo na vida, devemos apostar no lado do positivismo, do optimismo, da prevenção e do ensino.

A necessidade cria o engenho e a falta de uniformização de critérios cria o oportunismo e o comportamento menos ético.

Quando falamos do preço de uma cirurgia de implante, por exemplo, que factores poderemos estar a comparar e a levar em conta para irmos juntando “ao carrinho de supermercado” da conta dos honorários finais?

Temos de ir somando:

  • Talvez o critério mais importante de todos e que consiste no “know-how” do cirurgião, a sua aptidão, conhecimento, experiência e capacidade cirúrgica.
  • A Equipa que integra o momento cirúrgico, como Enfermeira/Assistente Instrumentista, Assistente de cirurgia, Assistente circulante.
  • Equipamento presente na Sala Cirúrgica, desde a qualidade do material, sistema de controlo de sinais vitais, material de suporte básico e avançado de vida.

É também fundamental, a experiência, o conforto do paciente e de quem o acompanha, desde o primeiro contacto para a consulta, até à sala de recobro para o pós-operatório. Não podemos querer acreditar que seja confortável para um paciente sujeito a uma cirúrgia de média-longa duração (2-3h) que assim que acabe o procedimento, seja sequer seguro, em fase de descompressão pós-cirúrgica que o paciente seja colocado na sala de espera juntamente com os outros pacientes ou mesmo, dando-lhe alta médica e o colocando fora da Clínica.

Do ponto de vista do paciente, cliente informado.

O meu fio condutor desta temática continua a desenrolar e a desenvolver em torno do prisma do observador, do paciente, em última análise, do cliente…

Devemos ser e por maioria de razão, clientes informados, em tudo o que compramos, em todas as trocas comerciais que se realizam, devemos juntar todos os factores que contribuem para uma escolha informada. Após essa informação estar compilada, escolhemos de acordo com variáveis, como o grau de confiança que o médico transmite, a história da clínica, opiniões recolhidas junto de outros clientes, consultar informação on-line e em redes sociais.

E no final virá a liberdade individual de cada um em escolher a opção que mais encaixa no perfil e naquilo que se procura, mas sempre salvaguardando que a comparação deve ser justa, e não deverá apenas ser a do preço.

Na minha opinião, e é uma opinião livre, condicionada apenas pela minha consciência médica e não do ponto de vista de um gestor da minha própria empresa, existem demasiados factores clínicos e não só na hora de se ponderar e escolher quem nos vai operar? E onde, em que condições? E após a cirurgia, que tipo de apoio nos é posto à disposição:

Eu coloco nos meus pacientes, um número 24h por dia para atendimento urgente pós-cirúrgico, atendido por uma Enfermeira.

Colocação de Implantes dentários. E que garantias?

No preço do implante está incluída uma garantia, que sofre um prazo de dilatação a cada consulta de controlo anual, onde tenho procedimentos clínicos e radiológicos que me permitem controlar dentro de limites do que é clinicamente aceitável, a sobrevida do implante.

No preço do implante também está incluído o estudo, o planeamento e o diagnóstico feito por mim e pela minha Equipa, com o estudo apurado da Imagiologia, como Raio-X panorâmicos, tomografias quando o case o necessita, modelos de estudo, fotografias detalhadas e clínicas, programas de desenho digital para obtenção de previsibilidade do antes e depois do tratamento com simulação em fotos do paciente.

Garantia

Porque no momento em que é fechado o contrato para a colocação do implante, têm de estar presentes, o tipo de garantias e o tipo de protocolo de manutenção que irá ser levada a cabo ao longo dos anos em que o paciente terá o tratamento em boca, em função, de forma saudável, e esteticamente favorável.

Os princípios de comparação para um tratamento de colocação de um implante dentário, serve para todo e qualquer tipo de tratamento médico e dentário.

Acredito no valor acrescido de quem sabe o que faz.

Acredito que a qualidade, a eficácia, a eficiência, o conhecimento, a experiência, o tipo de pós-operatório, serão sempre reconhecidas pelos pacientes, e quando a mensagem passa de boca em boca, faz o seu efeito e o nosso trabalho é reconhecido.

O motivo deste texto para o blogue da Clínica tem como objectivo alertar para a consciência crítica dos pacientes, nossos actuais e futuros pacientes, para que no momento da escolha, tenham sempre em mente que a cirurgia de colocação de implantes não se trata de comprar um parafuso para colocar no osso, porque se assim fosse, o paciente ia a uma loja, a um supermercado, a uma farmácia, comprava o parafuso e aplicava. Está a ser pago todo o conhecimento e experiência acumulados do cirurgião para conseguir fazer as cirurgias fáceis e as mais complicadas, para conseguir reagir com o mesmo profissionalismo e aptidão nos bons e nos maus momentos e é com este ponto em particular que termino este texto:

O preço mais barato, o preço que “esmaga o mercado” e que vende implantes como se estivesse a vender “parafusos à quantidade e por medida”, quando ocorrem complicações, situações fora do previsto, quer para a Reabilitação Oral, quer para a própria saúde do paciente, como várias complicações intra e pós-operatórias que podem surgir, como hemorragias, infecções, perda de implantes, se o preço dos tratamentos necessários, das medidas de contenção e resolução também estarão abrangidas por protocolos de actuação em Saldos…

Espero de alguma forma poder ter contribuído para a informação dos pacientes e para pedidos de informação adicionais, não hesitem em contactar-me através dos contactos habituais.

Dr. Luis Pinheiro

Dr. Luis Pinheiro

• Mestre em Cirurgia Oral e Maxilofacial no Eastman Dental Institute – University College of London
• Membro Associado da Sociedade Britânica de Cirurgia Oral (n.º 2277)
• Membro associado da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Oral
• Pratica Exclusiva privada em Cirurgia Oral e Implantologia
• Implantologia e Cirurgia Avançada em Cadáver – Universidade de Barcelona
• Reabilitação de Maxilas Atróficas com Credenciamento em Implantes Zigomáticos – INEPO – São Paulo
• Membro permanente da equipa de formação da S.I.N. – Implant System – como orador para Portugal e Europa, com mais de 1000 horas de formação dada, Cirurgia Oral e Implantologia

Partilhe o nosso artigo

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Siga-nos

Outros artigos

Tecnologia CAD/CAM – ZirkonZahn

Nos últimos anos, a digitalização e informatização da maior parte dos serviços tem sido constante e transversal a todas as áreas. A Medicina Dentária tem sofrido grandes inovações no que à nossa prática clínica diária diz respeito…

Ver Artigo»

Caso do Mês – Bruno Vitorino

O paciente apresentou-se na clínica com uma degradação muito avançada do seu estado de saúde oral. Apresentava muita falta de dentes principalmente na zona dos dentes posteriores, dentes fracturados principalmente ao nível do maxilar superior e com perda da dimensão do terço inferior da face (dimensão vertical).

Ver Artigo»

A nossa visão do presente e do futuro

Esta semana, convidamos os nossos seguidores a verem o vídeo do Dr. Luís Pinheiro, onde irá ser abordada a visão do presente e do futuro da Clínica CERO. Eis os principais pontos que irão ser destacados:

Ver Artigo»

CASO DO MÊS

REABILITAÇÃO ORAL EXTREMA – IMPLANTES ZIGOMÁTICOS Hoje vimos aqui apresentar um caso clínico que demonstra até onde os nossos ossos

Ver Artigo»

OS IMPLANTES ZIGOMÁTICOS

O QUE SÃO IMPLANTES ZIGOMÁTICOS? Vamos começar por nos localizarmos: Os implantes Zigomáticos têm este nome porque são implantes colocados

Ver Artigo»

CASO DO MÊS

Quando a gengiva não nos facilita a obtenção de um resultado estético previsível…. A nossa publicação de hoje tem como

Ver Artigo»

ENXERTOS ÓSSEOS – MITO VS REALIDADE

ando começamos um texto, uma comunicação ou uma palestra com uma frase chave, como a que está acima tem um propósito: – Chamar a atenção dos leitores, ou dos ouvintes. Nesta situação, a chamada da atenção não para os enxertos de osso em si, porque eles existem…

Ver Artigo»